A arte de fotografar a natureza é um privilégio que poucos têm . Sua beleza particular é tão difícil de capturar, que apenas alguns conseguem transmiti-la da realidade para a câmera. Quando alcançada, resultam peças únicas, como neste caso.

Uma fotógrafa russa capturou o belo e estranho fenômeno da iridescência, nos céus de uma montanha. Eles são chamados nuvens de arco-íris e sua formação se deve à difração da luz nas gotas de água. É uma maravilha natural e desconhecida.

Svetlana Kazina é uma fotógrafa russa que abandonou a vida das grandes cidades e com pouca natureza, para se mudar para a república russa de Altai, onde as montanhas apresentam a paisagem.

Durante uma de suas manhãs, muito cedo, no cume mais alto do maciço de Altai, no monte Beluja, ela fotografou a iridescência.

Geralmente, pode-se observar no outono ou inverno, em certos lugares do planeta, nas imediações do sol e da lua, sua formação é bastante semelhante à de um arco-íris tradicional. É um fenômeno óptico gerado pela luz, que ao passar pelas nuvens, que contêm pequenas gotas de água, difrata e emite uma determinada cor.

É assim que uma iridescência é gerada, mais conhecida como “nuvens de arco-íris”.

“As nuvens nas minhas fotos são tão finas que parecem mais uma renda que as nuvens normais. A força do vento nessa altitude era alta e o padrão de tecido das nuvens mudava a cada segundo”, Kazina explicou através de seu Instagram.

A maioria dos trabalhos é publicada em redes sociais, especialmente na conta do Instagram , onde muitas pessoas comentam e escrevem, parabenizando-a por sua arte. Outros agradecem por trazer esses fenômenos, estranhos e desconhecidos para muitos, na tela de seus telefones celulares. É um ótimo trabalho.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

RECOMENDAMOS