Suzanne Hoylaerts é uma belga de 90 anos, que em uma ato de humanidade, abriu mão do seu respirador que seria necessário para mantê-la viva.

Ela pediu aos médicos que utilizassem o aparelho em uma paciente mais jovem, Suzanne estava internada em um hospital na cidade de Lubbeek, na região de Flandres.

A idosa morreu no último dia 21 em decorrência do novo coronavírus. A filha disse que a mãe começou a sentir os sintomas da Covid-19 duas semanas antes. Suzanne então foi levada pela família ao médico quando ela começou a perder o apetite e a sentir falta de ar.

“Ela teve pneumonia e foi hospitalizada no ano passado”, lembrou a mídia local “Het Laatste Nieuws”.

Ao dar entrada na unidade de saúde, foi verificada que a saturação de oxigênio estava muito baixa. Em seguida, a idosa foi testada positivo para a Covid-19 e não pôde mais receber visitas da filha. No último encontro, Judith contou que a última mensagem que recebeu da mãe foi:

“Você não pode chorar. Você fez tudo o que pôde. Eu tive uma vida boa”.

Um dia depois de ser internada, a idosa veio a falecer.  Os médicos relataram que ela recusou o uso de um respirador, e isso agravou muito o seu quadro

“Não quero usar respiração artificial. Guarde-a para pacientes mais jovens. Eu já tive uma vida boa”, disse ela aos médicos.

Judith lamentou o fato de não poder se despedir apropriadamente da mãe devido ao risco de comparecer ao enterro.

Mortes pelo coronavírus

Já foram 705 mortes provocadas pelo coronavírus na Bélgica, porém até agora não havia sito foi relatada nenhuma morte de vítimas jovens, segundo o balanço oficial. Até esta terça-feira, havia 12.775 casos confirmados.

Mas na quinta feira foi confirmada a morte de uma menina de 12 por causa da Covid-19, embora a doença normalmente não afete com gravidade pacientes tão jovens.

“É um fato raro que nos comove profundamente”, disse o médico Emmanuel André, porta-voz do Serviço de Saúde à agência de notícias “AFP”.

A vítima era uma estudante de Ghent (noroeste), informou a cidade flamenga em um comunicado à imprensa, lamentando um falecimento “particularmente trágico”.

“É importante saber que ela não frequenta a escola desde 13 de março e não teve contato com sua equipe educacional desde então”, afirmou a mesma fonte.

A jovem vítima aparentemente não tinha problemas de saúde antes de ser infectada com esse vírus pulmonar, de acordo com o canal público flamengo VRT.

“Após três dias de febre”, sua condição “se deteriorou repentinamente”, declarou outro porta-voz das autoridades de saúde, Steven Van Gucht, a jornalistas.

Com informações:Extra

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS