Se você tem ou pretende ter filhos depois dos 40 temos uma ótima notícia!

Estudo publicado na Population and Development Review, apontou que filhos de pais mais velhos tendem a ser mais inteligente e mais saudáveis.

Os pesquisadores do Instituto Max Planck de Pesquisa Demográfica, chegaram a essa conclusão depois de analisar 1,5 milhão de homens e mulheres suecos que nasceram entre 1960 a 1991 e verificaram que a idade materna no momento do nascimento interferia na aptidão física e no nível educacional das crianças.

Os pesquisadores informaram que isso não tem nada a ver com genética ou fatores biológicos. A explicação é outra e muito simples: atrasar a gravidez em 10 anos, por exemplo, significa que seu filho nascerá em um contexto em que a medicina e a educação estará “10 anos mais moderna”.

Ainda que a maternidade tardia envolva alguns riscos – como os de desenvolver diabetes e hipertensão durante a gravidez, por exemplo -, o estudo aponta que esperar para ter filhos também tem suas vantagens. “Precisamos desenvolver uma perspectiva diferente sobre a idade materna avançada. Os pais normalmente estão bem cientes dos riscos associados a isso, mas eles estão menos conscientes dos efeitos positivos”, disse Mikko Myrskylä, um dos autores da pesquisa.

Também foi feita uma análise entre irmãos biológicos, que cresceram em condições bastante parecidas.

O resultado foi que as crianças nascidas mais tarde tendiam a se sair melhor que as que nasceram antes. Mas a explicação continua a mesma: quem nasce mais tarde aproveita mais os avanços tecnológicos e, consequentemente, tende a ser mais saudável e inteligente.

“Ao comparar irmãos que cresceram na mesma família, foi possível identificar a importância da idade materna no momento do nascimento, independentemente da influência de outros fatores que possam influenciar os resultados”, disse Kieron Barclay, autor do estudo.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Informações:Revista Crescer

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS