Recentemente, a Health Canada anunciou uma medida para proibir o uso de certos pesticidas contendo substâncias químicas conhecidas como neonicotinóides. Os cientistas sabem há muito tempo que esses pesticidas dizimam populações de abelhas, o que já é ruim o suficiente, considerando que várias espécies fizeram a lista de espécies ameaçadas de extinção. No entanto, existem evidências atuais mostrando como essas substâncias prejudicam mais do que apenas as abelhas.

Pesquisadores descobriram neonicotinóides presentes nos corpos de aves e outros mamíferos também. As substâncias causaram múltiplas mortes de beija-flores. Os cientistas agora temem o que essas substâncias poderiam fazer para a cadeia alimentar humana, assim como para a ecologia do planeta.

O que são pesticidas neonicotinóides?

O termo “neonicotinóides” refere-se a uma classe de substâncias químicas relacionadas na estrutura atômica à nicotina. E assim como a nicotina age no sistema nervoso humano, os pesticidas neonicotinóides atuam sobre o sistema nervoso de invertebrados, como os insetos. Embora a maioria das evidências científicas anteriores apontem para o fato de esses compostos serem menos tóxicos para os vertebrados, como aves, mamíferos e humanos, a recente morte de muitos beija-flores da toxicidade neonicotinóide indica que os produtos químicos podem não ser tão inócuos como se pensava.

Embora a proibição canadense se concentre principalmente em três tipos específicos de neonicotinóides, aqueles que desejam ter certeza de que não compram pesticidas que contenham essas substâncias podem procurar os seguintes termos no rótulo:

-Tiametoxam
-Thiocloprid
-Nitenpyram
-Imidaclopride
-Dinotefurano
-Clotianidina
-Acetamipride

Apicultores denunciaram a proibição do Canadá de não se estender o suficiente. Por um lado, a proibição só se estende a clotianidina, imidaclopride e tiametoxam. Em segundo lugar, embora a proibição proíba o uso dessas substâncias em plantas com flores e árvores que as abelhas tendem a acampar, os agricultores ainda podem usar os produtos químicos em certas plantas de grãos e jardineiros domésticos podem continuar a usá-los em plantas cultivadas em estufas.

Além disso, os críticos apontam que a proibição gradativamente elimina essas substâncias ao longo de vários anos, em vez de bani-las imediatamente. Eles observam que a União Européia já proibiu o uso de todos os três pesticidas neonicotinóides.

A toxicidade dos pesticidas neonicotinóides para as abelhas mede 7.000 vezes mais do que a toxicidade do DDT, uma substância proibida em 1972. Dado o nível de toxicidade, confunde a mente como esses pesticidas foram aprovados para uso em primeiro lugar. No entanto, a ignorância associada ao lobby dos fabricantes, juntamente com a falta de padrões internacionais para o uso desses produtos químicos, permitiu que a crise piorasse.

Outras nações seguirão a liderança do Canadá?

Embora os críticos insistam que a medida do Canadá não vai longe o suficiente, é um passo na direção certa. A União Europeia, entretanto, começou a restringir os neonicotinóides em 2013 e, após uma longa batalha, votou recentemente a expansão da proibição em abril de 2018. Os principais opositores da expansão da proibição incluem os produtores de beterraba sacarina que não reivindicam uma alternativa significativa aos neonicotinóides. A França, no entanto, decidiu pela proibição de todos os cinco pesticidas neonicotinóides .

Os EUA não instituíram tais proibições em nível federal, embora vários estados tenham elaborado suas próprias proibições em certos tipos de neonicotinóides. Connecticut classificou recentemente os neonicotinóides como uma substância de uso restrito [ 8 ]. Maryland restringe o uso a apenas agricultores e veterinários certificados pelo estado. Minnesota restringe a rotulagem, proibindo os fabricantes de publicarem pesticidas como seguros para polinizadores, e a Califórnia planeja revisitar a questão este ano.

Movendo-se para uma agricultura ecologicamente correta

Apesar dos protestos de certos grupos agrícolas, existem alternativas mais seguras aos pesticidas à base de neonicotinoides. Uma maneira natural de reduzir a infestação de pragas envolve a rotação de culturas. Esse método funciona porque as pragas de insetos geralmente infestam apenas um tipo de cultura. Portanto, mesmo se uma cultura, por exemplo, um certo grão, ficar infestada, se o agricultor plantar soja no ano seguinte, as pragas que comem cereais vão passar fome.

Além disso, existe uma série de pesticidas naturais e versões químicas baseadas em seus derivados. A desvantagem destes tipos de pesticidas é que muitos deles são específicos das culturas, o que significa que os horticultores devem investir em mais do que um para controlar todos os tipos de pragas. No entanto, quando comparado com o desastre ecológico que resultaria da perda dos polinizadores da Terra, esse inconveniente parece de fato menor.

Um mundo mais seguro para pássaros, abelhas e toda a vida

Qualquer passo no sentido de eliminar o uso de pesticidas neonicotinóides marca um passo na direção certa, e o Canadá merece aplausos por tomar essa medida crucial. Espero que outros países, incluindo os EUA, sigam o exemplo e em breve, enquanto ainda há tempo para salvar os pássaros e as abelhas.

Texto originalmente publicado no Live Love Fruit, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS