Por: Revista Saber Viver Mais

Os energéticos são considerados por muitos uma alternativa que substitui o café para garantir um estímulo a mais e manter o pique do dia a dia, mas o que pouca gente não imagina é que esse tipo de bebida não pode ser bebida livremente sem trazer algum efeito.

São inúmeros riscos reportados à saúde, energéticos já foram ligados a muitos casos de morte, tamanho o impacto que ele causa em nosso organismo.

Estudo dos efeitos

A Universidade de Waterloo, no Canadá, realizou um estudo com 2.055 jovens, onde cerca de 55,4% relatou ter experimentado efeitos indesejados após ingerir bebidas energéticas, alguns casos realmente foram assustadores.

O estudo descobriu que 24,7% dos voluntários ouvidos tinham entre 12 e 24 anos, e sentiram o mesmo efeito. Batimentos cardíacos acelerados, mais conhecido como arritmia cardíaca.

Dos voluntários 24,1% relataram dificuldades para dormir e 18,3 se queixaram de dores de caber como um dos efeitos. Em segundo lugar, 24,1% relataram dificuldade para dormir e 18,3% apontaram dores de cabeça como efeitos adversos.

O estudo também apontou que os energéticos causaram entre parte dos jovens náuseas, vômitos e diarreia (5,1%), outros tiveram dores no peito (3,68%). Houve casos raros que os voluntários apresentaram episódios de convulsão. Dentre todos os participantes que vivenciaram algum efeito adverso, 5% chegaram a buscar ajuda médica.

Para David Hammond, professor da Faculdade de Saúde Pública Waterloo, o potencial nocivo desse tipo de produto pode estar tanto em sua composição quanto na maneira que é consumida a bebida. Mas uma coisa ficou clara: Os energéticos oferecem um risco infinitamente maior à saúde do que o café.

“Os efeitos na saúde causados pelas bebidas energéticas podem ocorrer devido aos diferentes ingredientes em relação ao café, ou aos modos como são consumidas, incluindo na mistura com álcool ou durante atividade física; independente disso, os achados sugerem uma necessidade de aumentar a vigilância sobre os efeitos destes produtos na saúde”, afirmou.

Com Informações: VIX

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS