Por: Revista Saber Viver Mais

O PriestmanGoode é um estúdio britânico fundado em Londres, cuja atividade principal é buscar novos materiais e tecnologias que possam melhorar a vida e torná-la mais ecológica.

Desta vez, os designers da exposição tiveram inspiração em três elementos quando planejaram o design: Reduzir, Reutilizar e Reciclar

Um conjunto de pratos descartáveis ​​deve ser uma espécie de demonstração das possibilidades dos designers. Quase todos os elementos da embalagem eram feitos de um material diferente, o que mostra um amplo espectro de possibilidades que a natureza nos oferece. A bandeja preta principal é feita de borra de café e conchas feitas de grãos de café que foram misturados com lignina. Embalagem branca menor, formada a partir de farelo de trigo.

Isso não é tudo. Os talheres eram feitos de madeira de coco, os copos e as xícaras para bebidas eram feitos de cascas de arroz misturadas com um aglutinante feito de poliatídeo biodegradável de PLA. A embalagem da salada foi feita de algas e folhas de bananeira e as cápsulas de molhos transparentes foram criadas a partir de algas secas. Lembremos que as mesmas cápsulas foram dadas aos corredores de maratona em Londres.

Garrafa feira de mareira & plástico biodegradável

Outra objeto interessante é a garrafa de água feito de madeira de cortiça e plástico biodegradável. Esta garrafa deve ser usada como uma de água reutilizável, que podemos encher normalmente com água.

Segundo os designers, apenas 35 milhões de garrafas plásticas de água são compradas a cada ano apenas no aeroporto de Heathrow. A proposta da PriestmanGoode é ser mais ecológica do que uma garrafa de plástico padrão e pode nos servir por vários dias de nossas férias ou viagem de negócios.

Como dizem os designers, seu principal objetivo era remover o plástico da vida humana. Em sua exposição, eles também apontam para os dados coletados antes de começar a procurar materiais alternativos. Segundo seus cálculos, um passageiro consome cerca de 0,5 kg de plástico durante um vôo de longa distância, o que em escala global fornece mais de 5,7 milhões de toneladas de embalagens plásticas, que na grande maioria vão para aterros sanitários.

Texto originalmente publicado no Whitemad, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS