Duzinha dos Reis Rosa é de Minas Gerais, onde morava na roça. Migrou para o Mato Grosso há 40 anos. Por causa do machismo, foi impedida de estudar.

Moradora de Araputanga, cerca de 371 km da capital Cuiabá, ela, durante um século, manteve vivo o sonho de estudar. Eis que surgiu em sua vida o ‘ProjetoMuxirum’. Se matriculou. Questão de tempo para chamar a atenção de jovens e adolescentes.

Valeu o esforço, pois dona Zumira, como diz se chamar antes de ganhar o apelido de Duzinha, consegue juntar letras, ler e claro, falar o próprio nome. Ao G1, a centenária deu ideia das dificuldades enfrentadas ao longo da vida.

“Até que tentei, mas meu marido ficou doente e acabei desistindo. O povo ia dizer que eu abandonei meu marido doente. Achei melhor ficar com ele e não estudei mais”, explica.

A alfabetizadora Sandra Regina Pereira da Silva é só elogios. Ela revela que dona Duzinha tem objetivos maiores, “seu maior desejo é conseguir ler a bíblia. Vai conseguir”.

Educação para transformar

Assim como dona Duzinha, o ‘Projeto Muxirum’ beneficia muita gente no Mato Grosso. Entre 2017 e 2018, a iniciativa voltada para a alfabetização de adultos e idosos, mudou a vida de 10.165 pessoas em 31 municípios do estado. A ação sobrevive com parcerias entre prefeituras, igrejas, sindicatos e por aí vai.

Via: Hypeness

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS