Dona Tereza é mesmo um exemplo de que nada se perde, tudo se recicla!

Ela dá um jeito de reciclar tudo o que cai nas mãos dela, com criatividade e muito bom gosto por sinal.

Dona Tereza tem uma linda história de vida, dona de um sorriso tímido, mas doce como açúcar, faz a gente acreditar naquilo que ela acredita.

SP Invisível, pagina do Facebook, bateu um papo com a catadora de recicláveis. Ela contou que tudo que encontra ela recolhe. E não pensa duas vezes em reaproveitar coisas que para a maioria de nós não tem mais utilidade.

“Dá pra reciclar tudo! Nada é descartado. Essa saia, por exemplo, ela era um guarda-chuva. Olha que linda que ela é! Eu reciclo a vida toda, desde criança eu pego as coisas e criei minha família toda com dinheiro da reciclagem”, afirmou ela.

Dona Tereza diz isso sem usar força de expressão. Ela acolheu 42 crianças e adolescentes que moravam em situação de rua. Todos eles são muito bem cuidados com o dinheiro que vem da reciclagem.

Tereza sonha em que chegue o dia em que os catadores sejam remunerados dignamente pelo trabalho que prestam.

Alguns de seus filhos viraram catadores, por isso mais do que nunca Tereza deseja salários dignos para esses profissionais, tão importantes para a sociedade. Ela também tem filhos que se formaram em direito e engenharia.

Mas independentemente do caminho que cada filho escolheu, Tereza formou uma família unida, com filhos que se apoiam mutuamente. “Aí quando um precisa do outro a gente ajuda!”, disse ela toda orgulhosa da família que criou sozinha.

Confira a postagem na íntegra:

“Dá pra reciclar tudo! Nada é descartado. Essa saia, por exemplo, ela era um guarda-chuva. Olha que linda que ela é! Eu…

Posted by SP invisível on Monday, June 11, 2018

Dá pra reciclar tudo! Nada é descartado. Essa saia, por exemplo, ela era um guarda-chuva. Olha que linda que ela é! Eu reciclo a vida toda, desde criança eu pego as coisas e criei minha família toda com dinheiro da reciclagem. Meu nome é Tereza. 
Eu cato tudo: comecei catando café quando era criança, catei latinha, plástico, pessoas… É, eu catei pessoas. Tem mais de 42 meninos que foram criados por mim que eu tirei da rua e trouxe pra casa. Além desses, tem mais os biológicos. Tudo com dinheiro da reciclagem!
Meu sonho é que os catadores sejam remunerados dignamente pelo trabalho deles. Eu fico muito orgulhosa de ver esse movimento aqui hoje porque eles estão continuando o meu sonho. Tem muito filho meu aqui, nem todos, mas tem muito menino que eu tirei da rua e hoje tá aqui lutando pelos direitos dos catadores.
Só que foi bom que nem todos viraram catadores, aí a gente consegue criar uma rede: tenho filho advogado, engenheiro, catador, tem de tudo. Aí quando um precisa do outro, a gente ajuda!”

Informações: Razões Para Acreditar

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS