Depois de revelar, no fim de maio, que havia passado por uma cirurgia para retirada de um tumor de mama, a apresentadora Ana Furtado segue compartilhando sua rotina contra a doença.

Na terça-feira (12), ela postou uma foto no Instagram mostrando os bastidores da quimioterapia e falando sobre o procedimento que faz para evitar a perda dos cabelos, a crioterapia.

A técnica consiste em resfriar o couro cabeludo durante as sessões de quimioterapia, levando à contração dos vasos sanguíneos e protegendo os folículos capilares.

Essa técnica é indicada para alguns pacientes, consiste no resfriamento do couro cabeludo com a finalidade de impedir que as drogas usadas na quimioterapia cheguem até o couro cabeludo provocando a queda dos fios, explica Taiana Saraiva, coordenadora assistencial da Oncologia do Hospital Moinhos de Vento.

— Vulgarmente explicando, no momento que uso a touca congelada, há uma vasoconstrição e a droga não chega ao bulbo capilar. Assim, preserva essas células.

A técnica chegou ao Brasil em 2016, mas faz sucesso há mais tempo no mundo e é mais comumente usada para atletas em recuperação muscular. No caso de mulheres com câncer, a preservação dos fios pode ajudar a auto-estima: “Pesquisas dão conta de que esta técnica preserva entre 70 a 100% dos fios”, como ressalda o médico Daniel Gimenes, oncologista do Centro Paulista de Oncologia.

Leia mais: A moda do glúten – por Dr Drauzio Varella

Porém Dr Daniel Gimenes, diz que a crioterapia não é uma forma de tratamento do câncer. “É uma forma de preservação da autoestima do paciente neste momento delicado de tratamento. No caso de tumores de mama, é comum que as drogas mais eficientes para esse tipo de caso acabem danificando os folículos capilares ocasionando queda de cabelo”.

Por enquanto Ana Furtado diz que o tratamento está sendo eficaz. “É difícil, mas, até agora, eficiente. Só tenho a agradecer a todos os médicos pelas orientações, apoio e carinho comigo”, escreveu a apresentadora no Instagram nesta terça-feira (12).

Informações: G1

RECOMENDAMOS