Graças à sua enorme concentração de nutrientes, vitaminas e proteínas, o peixe é considerado um dos alimentos mais saudáveis ​​que você pode encontrar na natureza. Ele é também uma das melhores fontes de ácidos graxos ômega-3, importantes para o funcionamento do corpo e do cérebro.

Seu consumo regular também pode melhorar a cognição. Outra descoberta importante é que o peixe consumido regularmente pode ajudar no sono.

Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, apontou que crianças que consomem peixe pelo menos uma vez por semana conseguem ter uma noite de sono melhor e tem QIs superiores em uma média de 4 pontos. O estudo foi publicado na “Scientific Reports”.

Alguns estudos anteriores indicavam uma relação entre o ômega 3, é uma gordura poli-insaturada, presente em muitos tipos de peixes e a inteligência melhorada, bem como a ligação do ômega 3 e a melhora no sono.

Porém esses estudos nunca tinham sido conectados antes. Segundo o estudo dos cientistas norte-americanos, o sono poderia ser o fator que faria a relação entre consumir peixes e o aumento da inteligência.

Pesquisa

Pesquisadores usaram um método para chegar ao resultado, eles acompanharam 541 crianças que tinham a faixa etária entre 9 a 11 anos, sendo que 54% eram meninos e 46% meninas.

Eles responderam um questionário sobre a frequência com que comeram peixe no mês anterior, que tinham as opções desde “nunca” a “pelo menos uma vez por semana”.  Em outra parte do estudo elas foram submetidas a um teste de QI chamado “Wechsler Intelligence Scale for Children-Revised”, que consiste em examinar as habilidades verbais e não verbais, como vocabulário e codificação.

Os pais também participaram do estudo respondendo um questionário sobre a qualidade do sono, mas especificamente sobre duração, frequência do sono noturno e a sonolência diurna.

Resultado do estudo 

O estudo identificou que crianças que relataram comer peixe semanalmente conseguiram uma média de 4,8 pontos a mais nos exames de QI do que aqueles que disseram que comem “raramente” ou “nunca” peixes.  Os que responderam que às vezes incluíam peixe nas refeições marcaram 3,3 pontos a mais. Além disso foi possível constatar que o aumento do consumo do peixe foi ligado a menos distúrbios do sono.

Segundo os pesquisadores é recomendado a introdução de peixe na alimentação da crianças a partir dos 10 meses de idade. Porém é importante salientar o cuidado com os espinhos na hora de servi-lo.

Com informações:Uol

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS