A ansiedade é um distúrbio psicológico que apresenta vários sintomas e, entre os mais conhecidos, está o medo do que ainda não aconteceu. Ela pode afetar nossa rotina, já que, em muitos casos, a doença paralisa e faz deixar de tomar decisões por uma preocupação excessiva. A crise de ansiedade pode ser o momento em que ela vem à tona.

O tratamento se inicia depois do diagnóstico. Entretanto, para que as crises de ansiedade não sejam tão frequentes, é possível prestar atenção em sinais que o corpo e a mente nos dão antes que ela apareça. Antes disto, é importante reconhecer os motivos que podem estar causando ansiedade.

Crise de ansiedade: Por que ela acontece?

Segundo o psiquiatra Mario Louzã, a crise de ansiedade pode ser desencadeada por fatores genéticos ou externos. Traumas como a morte de uma pessoa querida e situações de agressão física e psicológica podem fazer com que o corpo entre frequentemente em estado de alerta. Para a psicanalista Cristiane Maluf, o estresse constante também pode provocar o distúrbio.

Outros fatores do dia a dia também podem servir de gatilho para instigar uma crise no corpo. “Passamos por crises financeiras, profissionais e nos relacionamentos. Vivemos num mundo cheio de incertezas e de motivos para ficarmos estressados e desencadearmos uma crise de ansiedade”, explica Mario.

O que você sente antes de uma crise de ansiedade?

Não é incomum só perceber que tivemos uma crise de ansiedade ao parar no hospital por conta de sintomas como a taquicardia, sudorese e o secamento da boca. Segundo Cristiane, é como se estivéssemos perto da morte, pois sentimos até mesmo falta de ar. Veja a seguir, sinais de que você está perto de uma crise ansiosa, para que você possa buscar ajuda antes de sofrer com os efeitos imediatos do transtorno:

1. Insônia

Antes de um transtorno de ansiedade acontecer, você pode perceber uma certa irregularidade em seu sono. Segundo Mario, isto acontece porque a mente não consegue desligar-se dos problemas. Com isso, sua energia entra em processo de redução, aumentando os riscos da crise ansiosa.

2. Tensão muscular

A psicanalista Cristiane Maluf explica que a ansiedade eleva a produção de hormônios que afetam a musculatura. Com isto, a pessoa vive com dores, o que consequentemente afeta seu sono. É como um efeito dominó, onde um único sintoma quando não tratado é capaz de provocar diversos outros.

3. Falta de concentração

Para Cristiane, quando estamos em estado de constante alerta, concentrar-se em nossas tarefas pode tornar-se algo difícil. Isto pode acontecer por uma auto cobrança excessiva, ou então por grande pressão do ambiente externo.

A quantidade de medos em nossa mente faz com que ela não consiga focar-se em assuntos do cotidiano. O excesso de desatenção pode indicar a existência de um problema maior.

4. Preocupação excessiva

Segundo Cristiane, preocupar-se demais mantém seu corpo em estado de alerta. Isto faz com que a mente crie um ciclo vicioso, em que o medo produzido pela preocupação alimenta os sintomas da ansiedade e vice-versa. Portanto, reduzir os pensamentos pessimistas, se possível, pode evitar a manifestação de crises ansiosas.

5. Irritabilidade

É comum que tenhamos dias em que estejamos de mau humor. Entretanto, quando isto se torna uma realidade constante, é preciso investigar as causas. Cristiane aponta que a irritabilidade é um dos sintomas que antecedem uma crise. O ritmo acelerado da mente e a sensação de urgência podem fazer com que sua paciência torne-se cada vez mais curta.

6. Falta de ar

Para Cristiane Malluf, é comum que algumas pessoas sintam-se inquietas antes de uma crise. A respiração ofegante e a falta de ar costumam atingir seu pico durante o transtorno de ansiedade, entretanto, estes sinais podem ser sentidos ao longo dos dias em situações comuns, devido ao estresse que a condição causa.

7. Tontura

A tontura e o formigamento são consequências da pressão psicológica que a ansiedade traz. A vertigem também se faz presente, o que pode causar a sensação de desespero, que se desencadeia em uma crise ansiosa.

Reduzindo os sintomas

Em casos de ansiedade crônica, é importante buscar a ajuda de um especialista. Entretanto, a psicanalista alerta que a ansiedade é causada pelo o que está fora de nosso controle. Por isto, é importante prestar atenção à respiração em momentos de angústia.

Respirar fundo faz com que mantenhamos a calma, trazendo a mente para o presente e afastando-a do futuro. Investir em momentos de lazer, praticar atividades físicas e apostar em uma dieta mais natural também pode evitar que as crises ansiosas aconteçam.

Via:Minha Vida

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS