Bryan Russell, 27, está determinado a chegar ao Congresso. Ele também é o primeiro peruano a se formar na universidade. Tudo um exemplo.

Aos 27 anos, Bryan Russell está pronto para desafiar o mundo e divulgar o nome de um grupo que historicamente foi marginalizado. O jovem é o primeiro candidato com Síndrome de Down ao Congresso.

Andando pelas ruas de Lima, Peru, Russell procura obter o voto dos cidadãos com um maço de folhetos debaixo do braço.

O que o jovem candidato está procurando é “quebrar o paradigma” de que as pessoas com síndrome de Down não podem ser independentes e são constantemente “desprezadas”, disse ele à Associated Press. Agora ele espera mudar “muito” essa imagem com sua candidatura.

“Não somos pobres anjinhos”, disse ele. E eu gostaria que todos entendessem isso. “Sou alguém limpo, honesto, transparente”, disse Russell.

Recentemente, ele foi convidado para um fórum representando seu partido de centro-direita, o Peru-Nation, onde pediu que, independentemente das cores políticas, lute pelos deficientes.

“Precisamos de uma educação de qualidade, também de mais trabalho”, disse

Russell, que em 2014 se tornou o primeiro peruano com síndrome de Down a se formar na faculdade. Ele estudou Ciências da Comunicação na Universidade San Ignacio de Loyola.

Ele também disse que seus pais nunca o superprotegeram e, de fato, o encorajaram a desenvolver sua independência.

Sua mãe, Gladys Mujica, professora de inglês, disse que seu filho, está preparado tanto para a vitória ou para derrota, mas o mais importante é que ele lute e acredite no seu ideal. “Ele é um símbolo para muitas pessoas que realmente precisam acreditar que podem e são visíveis ao mundo”.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS