Por Tereza Pultarova

Segundo um novo estudo feito na Austrália, a alimentação pode estar ligado a fertilidade nas mulheres.

Os pesquisadores descobriram que comer os chamados “fast food” regularmente estava ligado a um aumento de duas vezes no risco de fertilidade em mulheres em idade fértil.

Outro dado importante é em relação as frutas, não comer frutas suficiente aumenta em 50% o risco da fertilidade, uma dieta baseada em frutas segundo o estudo, reduz a quantidade de tempo necessária para engravidar.

O estudo é apenas inicial, são necessárias mais pesquisas para provar que certos alimentos têm realmente impacto no risco da fertilidade, segundo O Dr. Raj Mathur, secretário da British Fertility Society, que não participou do estudo, disse que o novo estudo é muito útil para que mulheres comecem a cuidar melhor da sua alimentação.

Mas tudo indica que realmente a pesquisa está no caminho certo, “Esse estudo parece estar de acordo com outras pesquisas, que mostram que seu padrão geral de dieta pode influenciar na fertilidade”, disse Mathur à Live Science. “A mensagem desses estudos parece ser que os alimentos processados ​​são ruins, e frutas e vegetais frescos são bons para a fertilidade”.

A pesquisa, publicada em 3 de maio na revista Human Reproduction, incluiu cerca de 5.600 mulheres, de 18 a 43 anos, da Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e Irlanda, todas nas primeiras etapas de sua primeira gravidez.

As parteiras que cuidaram dessas mulheres foram instruídas a entrevistá-las sobre sua dieta no mês anterior à concepção e registrar quanto tempo as mulheres engravidaram quando começaram a tentar.

Leia mais: Pesquisa deixa claro: amor de mãe faz a gente ficar mais inteligente

De acordo com o estudo casais são considerados inférteis quando são incapazes de conceber dentro de um ano de tentativas. Assim, apesar de todas as mulheres envolvidas no estudo estarem grávidas, 8% delas caíram na categoria infértil, já que levaram mais de um ano para engravidar.

Influência da alimentação

“A principal descoberta é que o risco de infertilidade, isto é, levar mais de 12 meses para engravidar, passou de 8% para todas as mulheres  para 12% nas mulheres com a menor ingestão de frutas”, disse o principal autor do estudo.

“Houve também um aumento de 8% a 16% no risco de fertilidade em mulheres que comiam quatro ou mais porções de fast food a cada semana”, disse Roberts à Live Science.

A ingestão de alimentos também esteve ligada ao tempo que as mulheres levaram para engravidar. As mulheres que comiam frutas três ou mais vezes por dia, por exemplo, engravidavam meio mês mais cedo do que as mulheres que comiam frutas apenas algumas vezes em um mês.

Da mesma forma, mulheres que consumiam fast-food, como hambúrgueres, pizza, frango frito e batatas fritas, quatro ou mais vezes por semana, engravidaram, em média, um mês depois de mulheres que nunca comiam fast food.

“A ingestão de outros alimentos, incluindo vegetais de folhas verdes e peixes, não estava ligada ao risco de infertilidade ou à quantidade de tempo que as mulheres levaram para engravidar. No entanto, os pesquisadores ficaram surpresos que esses alimentos saudáveis ​​não parecessem ter um efeito”, disse Roberts.

O estudo foi ajustado para fatores como idade, tabagismo materno, consumo de álcool e índice de massa corporal, para garantir que os dados refletissem apenas os efeitos da dieta sobre a fertilidade e o tempo necessário para engravidar, observou Roberts.

Texto originalmente publicado no CBS News, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS