Um menino de 12 anos é um grande exemplo de amor ao próximo, ele ainda tão pequeno e já faz a diferença na vida de outras crianças.

O menino Leonardo Nicanor é uma inspiração para quem deseja fazer o bem, mas não sabe como começar. Há cinco anos, ele observou que um dos seus amigos não consegui fazer as tarefas do colégio, a dificuldade do menino era tanta, quem sem alguém para ajudar ele não conseguiria fazer o exercício e, além de tirar nota baixa não conseguiria aprender. Foi nesse momento que Leonardo se aproximou disposto a ensinar o coleguinha. Sabendo que Leonardo estava ajudando o amigo, outras crianças começaram a procurar por ele pedindo ajuda.

Vendo tantas crianças precisando de apoio escolar, o menino Leonardo teve a iniciativa de receber crianças da vizinhança que precisavam de reforço no quintal de casa, então ele deu um nome a escolinha que passou a se chamar escola “Pátria e União”.

Mais crianças foram chegando para estudar na escola de Leonardo chamando-o de Professor Nico. Empolgado e feliz por estar ajudando. Pessoas adultas também ficaram interessadas e passaram a frequentar a escola do menino no quintal.

Leonardo se sente muito feliz em ajudar outras pessoas no que pode, ensinando o que sabe. Ele é um menino dedicado aos estudos e muito inteligente. Atualmente na escola “Pátria e União” ele tem 36 alunos, todos organizados conforme o nível de conhecimento. Para organizar, o menino dividiu o grupo de alunos em 6 níveis, assim todos aprendem como deve ser em uma escola.

O menino Leonardo tem o dia cheio, ele dá aulas, mas ainda é estudante. Todos os dias úteis ele vai à escola, onde estuda no turno da manhã. Em casa ele dá aula à tarde ensinando sozinho em todas as turmas que organizou.

A família do menino é muito pobre, eles não têm recursos para oferecer mais conforto às pessoas, crianças e adultos como uma aluna de 40 anos de idade, que passou a ir às aulas para ser alfabetizada. As aulas são gratuitas e a avó do menino faz o que pode para ajudar, mesmo assim falta dinheiro para cobrir o básico na escola improvisada.

Fonte: Nation

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS