Fonte:Hypeness

Já se sabe que a prática de yoga traz muitos benefícios ao corpo humano. Além de aliviar o estresse e ser capaz de alterar positivamente o nosso DNA, melhorando nossa absorção de nutrientes e prevenindo doenças crônicas, a prática também protege a memória durante o envelhecimento.

A descoberta faz parte de um novo estudo sobre os benefícios da yoga realizado pelo Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einstein. Durante a pesquisa, foram analisadas imagens do cérebro de 42 mulheres idosas por meio de uma ressonância magnética.

Metade das voluntárias era praticante de hatha-yoga e a outra metade não. Para que a comparação fosse precisa, as mulheres escolhidas tinham condições semelhantes de saúde, idade e escolaridade.

Os resultados do estudo foram publicados revista Frontiers in Aging Neuroscience e demonstram que as idosas que praticavam hatha-yoga há pelo menos oito anos tinham um córtex pré-frontal mais espesso do que aquelas que não eram adeptas da prática. Graças à descoberta, os cientistas acreditam que o exercício possa ajudar a retardar a degeneração cerebral.

Apesar dos indícios, a pesquisa ainda não é conclusiva para afirmar que a maior espessura do córtex seja resultante da prática de yoga. Para isso, serão necessários novos estudos de longa duração, que acompanhem durante anos a saúde de pessoas que estão começando a praticar yoga, desde antes de iniciarem a prática.

O estudo foi conduzido em conjunto com pesquisadores do Massachusetts General Hospital–Harvard Medical School, da Universidade Federal do ABC e do Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo (CEPEUSP). Leia a pesquisa na íntegra clicando aqui.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Via: Hypeness“>Hypeness

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS