Você acha que a presença dos avós na criação dos filhos é menos significante que a presença dos pais? Então confira o que um estudo diz sobre isso e surpreenda-se!

Um estudo publicado pela London School of Economics and Political Science, indica  que a presença participativa dos pais na criação de uma criança é fundamental, mas, tem um impacto significativamente menor no bem-estar dos pequenos do que a relação com as avós maternas.

A pesquisa foi baseada na revisão de 45 pesquisas sobre famílias ao redor do mundo, que descobriram que uma criança tem mais probabilidade de crescer feliz se a mãe receber ajuda de um parente, especialmente as avós maternas.

Segundo o trabalho científico, as mães têm que cuidar de várias crianças dependentes simultaneamente, o que pode ser considerado um fardo enérgico.

A análise dos dados permitiu a descoberta de que a presença de, pelo menos, um parente melhora as taxas de sobrevivência da criança se a mãe morre e, principalmente as avós maternas são responsáveis por essa melhora.

Interessante, não? Mostra a todos nós o quanto é importante o contato com os avós e o quanto temos que investir nessa relação famíliar, para o bem de nossos filhos e também de nós, mães.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

  • Siga a Revista Saber Viver Mais no Instagram aqui.
  • Curta a Revista Saber Viver Mais no Facebook aqui. 

Fonte: Coruja Prof.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS