Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem. Também é dito que o tempo que passamos com um gato nunca é um desperdício de tempo. Há boas razões para amar cães e gatos, mas, mesmo assim, há pessoas que optam por cães e os defendem tenazmente.

Há também aqueles que preferem gatos e não conseguem imaginar sua vida ao lado de um cachorro. O que está escondido na base dessa preferência? É possível que essas pessoas tenham diferentes perfis psicológicos?

Os donos de gatos são mais espertos

Um estudo desenvolvido na Universidade Carroll indica que os amantes de gatos são mais espertos do que aqueles que preferem cães. Esses psicólogos analisaram 600 estudantes que preferiam gatos ou cachorros. Os participantes foram submetidos a testes de personalidade e inteligência. Assim, foi visto que aqueles que preferiam gatos costumavam obter escores mais altos nos testes de inteligência.

Esses psicólogos apontam que a diferença se deve às características da personalidade, bem como às atividades e hobbies de cada pessoa. Nos testes, eles perceberam que as pessoas que amam os cães tendem a ser mais ativas, transmitem mais energia e gostam de passar mais tempo ao ar livre. Eles também são pessoas que geralmente seguem as regras ao pé da letra.

Pelo contrário, os amantes de gatos tendem a ser mais introvertidos, sensíveis e mostram uma mente mais aberta. Eles também apreciam mais a solidão, tendem a ter uma faceta não-conformista e acham difícil seguir as regras. Essas características aumentam a criatividade e a inteligência , ajudando-as a pensar fora da caixa.

Claro, não é que esses animais potencializem certas características em detrimento de outros, a chave é que escolhemos cães ou gatos dependendo de quem somos. Por exemplo, os amantes de cães gostam de desfrutar da companhia incondicional de seu animal de estimação, enquanto aqueles que preferem gatos são atraídos para a independência que este animal mostra.

Nós escolhemos um cão ou um gato dependendo de quem somos, o estilo de vida que levamos e, acima de tudo, as necessidades emocionais que queremos satisfazer através desse animal de estimação.

Os donos dos cães são mais felizes

Em contraste, um estudo realizado no Mahattanville College revelou que aqueles que preferem cães são mais felizes. Nessa ocasião, os psicólogos analisaram 263 pessoas e aprofundaram seu relacionamento com seus animais de estimação e a sensação de bem-estar.

Eles descobriram que aqueles que tinham cães indicaram que se sentiam mais felizes e experimentavam mais emoções positivas. Eles também relataram sentir-se mais satisfeitos com a vida, em comparação com pessoas que tiveram gatos em casa.

Nesse nível de felicidade, diferentes fatores podem influenciar, entre eles, o fato de que as pessoas que possuem cães costumam passar mais tempo ao ar livre, geralmente ficam mais ativas fisicamente e tendem a ser mais extrovertidas.

No entanto, esses psicólogos também apontam para o fato de que os cães podem nos dar mais apoio emocional do que os gatos, o que reverteria para o nosso bem-estar. De fato, foi demonstrado que os cães liberam mais oxitocina, o hormônio do amor, do que os gatos quando interagem com seus donos.

Para provar isso, os pesquisadores coletaram amostras de saliva de 10 cães e 10 gatos, dez minutos antes de uma sessão de jogo com seus donos e imediatamente após o término. Os resultados revelaram que em cães o nível de ocitocina aumentou em 57,2% enquanto em gatos apenas 12%.

Isso poderia explicar por que muitas pessoas estabelecem uma conexão emocional tão especial com os cães , o que pode gerar uma verdadeira felicidade para ambos.

Texto originalmente publicado no Rincon Psicologia, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS