Por: Revista Saber Viver Mais

Durante a pandemia surgiu um novo termo: “o novo normal” . Esse termo na verdade, seria a proposta de um novo padrão que possa garantir a nossa sobrevivência.

Entretanto esse novo padrão, para nós que estamos em isolamento, afeta uma série de coisas em nosso cérebro. Como explicou o neurocirurgião do hospital Beneficência Portuguesa, em SP, Júlio Pereira, em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes neste sábado (11). “A gente costuma dizer que as pessoas estão submetidas ao estresse crônico”, explicou o médico, sobre os efeitos que esse dito “novo normal” estão causando em nosso cérebro.

Doenças do isolamento

Dr. Júlio explicou que além do constante medo da contaminação com o vírus, a pandemia trouxe o fator do isolamento social, e com isso pessoas passaram a ter doenças psicológicas, neurológicas e doenças cardíacas que se desencadearam por essa solidão quer seja em casa ou até mesmo em isolamento nos hospitais.

“Essas pessoas não tinham procurado atendimento médico. Alguns especialistas consideram até uma ‘segunda onda’ de pacientes com outras doença que estão voltando”, disse o médico.

O que preocupa o neurocirurgião é que muitas pessoa têm procurado hospitais achando que estão contaminados com o novo coronavírus, entretanto o sintoma é de transtorno de ansiedade. O médico relata que os pacientes estão ansiosos, sem dormir e muitos até sentem como se estivesserm infectados com o coronavírus. “Um dos sintomas do transtorno de ansiedade é a dificuldade de respirar”, explicou o médico.

Hormônios

O médico explicou que durante o estresse alguns hormônios como o cortisol aumentam, e muitos pacientes vão aos hospitais com queixas de insônia, distúrbio de ansiedade e depressão. Ele também explicou que alguns paciente estão procurando hospitais com sintomas do coronavírus puramente psicológicos.

“É uma situação que a gente passa durante muitos dias, mais de 100 dias, que as pessoas estão em casa, ficam sem contato com quem gosta e ansiosos, preocupados com o que pode acontecer”, disse Júlio Pereira.

Com informações: Band Uol

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS