Por: Redação da Revista Saber Viver Mais

Ela foi diagnosticada com câncer de mama aos 25 anos, porém com 27 anos por um erro do hospital, ela descobriu que o diagnóstico estava errado.

Essa é a história de Sarah Boyle, mãe de dois filhos no Reino Unido. Ela deu início ao tratamento que incluiu além de meses de quimioterapia e uma mastectomia completa nos dois seios, só que ela não pecisava ter feito nada disso!

O hospital responsável pelo tratamento informou a Sarah que ela nunca teve câncer, em um desabafo ela explicou como está sendo a vida a partir dessa notícia. Os últimos anos estão sendo incrivelmente difíceis para mim e minha família“, conta Sarah, ao jornal “The Independent”.

O que agrava mais ainda a situação é que após a cirurgia ela fez a reconstrução das mamas, e foi informada que os implantes de silicone podem ainda trazer riscos de desenvolver câncer futuramente.

O Trauma 

“Saber que eu tinha câncer foi horrível, mas passar por todos os tratamentos e cirurgias para descobrir que não precisava disso foi realmente traumatizante. Como se não fosse o bastante, agora me preocupo de desenvolver câncer no futuro pelos meus implantes e também tenho medo das complicações relacionadas a quimioterapia”, desabafa Sarah

“Nada vai mudar o que eu passei, mas eu ainda preciso de respostas para que ninguém sofra da mesma maneira que eu”, afirma

Após todo o sofrimento Sarah ainda foi informada que teria dificuldades de engravidar após o tratamento, mas ela conseguiu dar à luz ao seu segundo filho que está com sete meses.

Agora Sarah resolveu contratar advogados que são especializados em casos de negligência médica para processar o hospital e descobrir o que realmente aconteceu no seu caso. “É um caso chocante no qual uma jovem mãe enfrentou uma notícia horrível e um tratamento doloroso para depois descobrir que não precisava daquilo. Teve um impacto enorme na Sarah”, conta a advogada Sarah Sharples.

Erro médico

Os médicos que fizeram o tratamento da paciente, já assumiram o erro, mas Sarah quer que isso não aconteça a mais nenhuma mulher.

“É bom ver que os médicos reconheceram o erro, mas ainda precisamos garantir que isso não acontecerá de novo”, continua.

“Também nos preocupamos com os implantes colocados nos seios de Sarah, que são suspeitos de poder causar câncer. Sarah precisa de respostas e isso causou muito estresse para ela”, pontua a advogada

Responsável pelo diagnóstico errado, o Hospital da Universidade de North Midlands, pediu desculpas a Sarah. “Um diagnóstico errado é bastante raro e entendemos o quão devastador foi para Sarah e sua família. Além das desculpas, estamos colaborando com a investigação. O diagnóstico errado da biópsia foi um erro humano, então todos os diagnósticos agora são revisados por um segundo patologista. Mantemos contato com ela para tirar qualquer dúvida” informou um dos representantes do hospital.

Com informações:UOL

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS