A alegria de um idoso da Paraíba após voltar a enxergar é emocionante! Seu Francisco fez a cirurgia de catarata gratuitamente em um mutirão organizado pelo médico oftalmologista Fabiano Brandão, 43 anos.

Dr. Fabiano, estudou medicina em João Pessoa e fez mestrado e doutorado em Barcelona, na Espanha, todo ano ele volta a sua cidade de origem o município de Areia, na Paraíba, para ajudar as pessoas que necessitam de tratamento.

Em vídeo o médico aparece retirando o curativo do olho direito do seu Francisco após a cirurgia e pergunta ao idoso se ele está enxergando. O que emocionou foi a reação dele ao ver a mão do médico (assista abaixo).

“A reação deles é emocionante. Naquele dia, eu operei mais dois pacientes: foram três no total. A gente leva a equipe inteira, tanto para as consultas quanto para as cirurgias, além dos equipamentos. Claro que o hospital da cidade dá apoio pra gente. Nós temos uma relação muito boa com eles”, contou Fabiano Brandão.

Recebo mais que dinheiro!

Uma ou duas vezes por ano, Fabiano retorna para Areia para liderar mutirões de cirurgias de catarata gratuitas em idosos e também para doar armações de óculos para crianças e adolescentes em idade escolar, cedidas por pacientes da sua clínica particular na capital da Paraíba.

Foram mais de 50 cirurgias de catara e aproximadamente 600 armações de óculos em três anos de mutirões. O oftalmologista diz que o que recebe vale mais que dinheiro. “Um abraço, um sorriso, é o melhor pagamento. Isso é mais valioso do que dinheiro. Depois eles voltam com uma galinha, um saco de feijão… É uma graça! No final do ano, eu tive que trazer um peru no carro. Eles me deram um peru (risos). É de coração, entendeu? É um barato!”, afirma.

Dr. Fabiano conta que recebe apoio de profissionais que trabalham na sua clínica e pacientes, que são peças fundamentais para realização dos mutirões de catarata e para a doação das armações de óculos na sua cidade natal.

“Todos colaboram! Porque se não tiver a colaboração de todos, a coisa não gira. São várias pessoas colaborando, meus pacientes, funcionários, Areia colabora. Todo mundo colabora!”, lembra.

Agradecendo o que recebeu

Fabiano diz que o mutirão na verdade é uma maneira de agradecer o que recebeu da cidade natal.  “É a vontade de fazer o bem sem olhar a quem. Tudo o que eu tenho hoje é por conta dos estudos. Foi em Areia que eu aprendi a ler, escrever. Foi em Areia onde aprendi valores de amor ao próximo. Toda minha educação vem de lá. Areia me deu a base de tudo!”, conclui.

Assista:

Texto originalmente publicado no SNB

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS