Por: Dr. David Perlmutter

Você se lembra do boneco de palha no filme “O mágico de Oz”? Ele não tinha as funções cognitivas muito boas. Então se juntou à Dorothy em sua jornada para encontrar o mágico na esperança de que algo mágico pudesse fazer seu cérebro funcionar novamente.

Infelizmente, até nos dias de hoje, quando a função cognitiva começa a decair, você de fato precisa esperar que algo mágico aconteça. Não há nada na área farmacêutica que possa reverter o quadro quando o cérebro começa a falhar.

Dito isso, há várias opções que não serão escritas em um receituário médico, mas que são validadas por pesquisas científicas e que você deveria considerar para ajudar a manter e preservar a função cerebral e ajudar a restaurar a memória e outros parâmetros das atividades cerebrais.

Todos corremos risco de degeneração cerebral. Estatísticas mostram que se você vive até os 85 anos ou mais, seu risco de ter Alzheimer, por exemplo, é de 50%. Então faz total sentido fazer o possível para nutrir um cérebro saudável.

Suas escolhas alimentares podem ser o maior fator de influência que você controla relacionado a sua saúde, vitalidade e funcionalidade do seu precioso cérebro.

Azeite de oliva

Rico em polifenóis, que são poderosos antioxidantes.

Óleo de coco

Aumenta a habilidade dos neurônios de usar energia enquanto reduz a produção de radicais livres prejudiciais.
Fonte de gordura saturada – um nutriente essencial para integridade e funcionamento das membranas das células cerebrais.

Salmão selvagem

Uma excelente fonte de ômega 3 DHA. O DHA tem o papel principal na manutenção da saúde das células cerebrais e ajuda a estimular o crescimento dessas células na área da memória.

Mirtilo

Alta concentração de antioxidantes protetores do cérebro. Mirtilos também ajudam a reduzir inflamações, que são a raiz de toda doença degenerativa.

Leia também: Neurocientistas recomendam fortemente que você visite a praia regularmente. Eis o porquê

Cúrcuma

Ajuda a ativar as partes do nosso DNA responsáveis por reduzir inflamações.

Ovos

Ricos em colina, a precursora química da acetilcolina, que é um dos principais neutransmissores. Ovos também contém colesterol, um importante componente das membranas de células cerebrais que serve como antioxidante.

Nozes

Ricas em uma variedade de nutrientes que ajudam na saúde do cérebro, como vitamina E, ômega 3, cobre, manganês e fibras.

Exercícios

Considere comida para a alma. Exercícios aeróbios ativam os genes que produzem BDNF (um hormônio de crescimento), que foca em células cerebrais.

Aspargo

Rico em fibras prebióticas. Aspargos tem grande quantidade de nutrientes anti-inflamatórios e ácido fólico.

Couve

Um vegetal baixo em carboidratos que contem vitamina C, K e A, potássio e ferro.

Brócolis

Rico em sulforafano, que ajuda a desintoxicar, reduzir inflamações e controlar o prejuízo causado por radicais livres.

Abacate

Cheio de gorduras monoinsaturadas que protegem células do cérebro. O óleo de abacate também se mostra eficiente para manter a pressão sanguínea em níveis normais.

Vinho tinto

Rico em polifenóis que ajudam a aumentar a irrigação sanguínea no cérebro.

Chocolate amargo

Assim como o vinho tinto, rico em polifenóis.

Espinafre

Rico em antioxidantes, vitamina K, ácido fólico e luteína.

Amêndoas

Contém altos níveis de ômega 3 e vitamina E.

Semente de abóbora

Uma fonte rica de zinco, um mineral importante para memória e demais funções cerebrais.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Texto originalmente publicado no Mindbodygreen, livremente traduzido e adaptado pela equipe do Site Saber Viver Mais

Crédito fotos: Labofit

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS