“Alguém já te salvou de ti mesmo⁉ Hoje eu acordei péssima, às vésperas do Exame da Ordem [OAB], os nervos à flor da pele, entre tantas preocupações que temos no dia a dia. Fui fazer um suco, e percebi que o açúcar havia acabado. Eu estava tão estressada que comecei a chorar, e não era por causa do açúcar ou que eu não tivesse dinheiro para comprar, era um misto de emoções que do nada eu explodi em pranto…”

Assim começou a última terça-feira (29) da bacharel em Direito Débora Oliveira, na casa onde vive com seus dois filhos, em um bairro nobre na cidade de São Miguel dos Campos, no interior de Alagoas.

O que parecia mais um dia de tensão dividido entre os estudos para a temida prova de classificatória da Ordem dos Advogados do Brasil, os filhos e demais atividades cotidianas, teve sua rotina quebrada por um pedido que chegou bem no momento em que a alagoana extravasava sua tensão na dispensa da casa.

Cinco crianças da mesma família, que percorriam a rua da casa onde a advogada mora pedindo ajuda, tocaram sua campainha, na tentativa de conseguirem algo para comer. Mesmo abalada, a mulher iniciou uma conversa no portão e percebeu que eles tinham sede.

Um convite para entrar era o que eles estavam esperando. “O garotinho menor falou: tia, deixa a gente tomar banho na sua piscina? Fiquei sem palavras, e falei: ela está suja. Ele falou: a gente limpa e se a senhora deixar a gente limpar a grama também, e tomamos banho com sabão para entrar na sua piscina. (Claro que eu não deixei eles limparem nada). Eu os convidei para entrar e quando viram a piscina com os olhos brilhantes de alegria e começaram a falar euforicamente”, prossegue em seu relato, que já tem mais de 15 mil curtidas no Instagram. Leia abaixo.

View this post on Instagram

Alguém já te salvou de ti mesmo⁉️ hoje eu acordei péssima, às vésperas do #examedeordem #oab ,os nervos à flor da pele, entre tantas preocupações que temos no dia a dia. Fui fazer um suco, e percebi que o açúcar havia acabado, eu estava tão estressada que comecei a chorar, não era por causa do açúcar ou que eu não tivesse dinheiro para comprar, era um misto de emoções que do nada eu explodi em pranto… ouvi a campainha da casa tocar, atendi o interfone, e ouvi uma voz de menina pedindo algo para comer. Fui até a porta e levei 1 kg de alimento. Vi 5 crianças na calçada(irmãos e primos), o garotinho menor falou:” tia deixa a gente tomar banho na sua piscina?” Fiquei sem palavras, mas falei:”ela está suja”. Ele falou: “a gente limpa e se a senhora deixar a gente limpa a grama também, e tomamos banho com sabão para entrar na sua piscina”. (Claro que eu não deixei eles limparem nada)Convidei-os para entrar e os conduzi pelo jardim lateral, eles viram a piscina com os olhos brilhantes de alegria e começaram a falar euforicamente, “tia, a senhora é muito rica não é?”Tia a sua casa é a maior mansão que eu já entrei na minha vida “ “tia como a senhora conseguiu ser tão rica para ter uma casa dessas?” “Tia a senhora parece atriz e seu cabelo é tão loiro”… eu engoli o choro e chamei Haúl, pedi que ele cuidasse dessas crianças por instantes. Entrei no meu quarto e desabei em prantos, ajoelhei agradeci a Deus pelo que eu tinha e por quem sou, pedi perdão por me transtornar quando algo me falta. Já era quase 14 h, e fiz um macarrão com salsicha para os alimentar(imaginei que eles não teriam almoço). Ouvi:”tia sua casa é como na televisão, tem prato e garrafa de água bonita e você faz uma macarronada muito gostosa”. Próximo ao chuveirão deixo disponível shampoo e condicionador, a menina falou:”você deixa eu usar seu shampoo? Às vezes no supermercado eu abro e cheiro os shampoos, mas a minha mãe não pode comprar”… HOJE TIVE UMA GRANDE LIÇÃO DE VIDA, QUE LEMBREMOS DE SER HUMANOS E SEJAMOS RICOS DE TUDO QUE O DINHEIRO JAMAIS PODERÁ COMPRAR: #amor #generosidade #gratidão e #fé #humanidade #sabedoria #vida #geracaodevalor #direitoconstitucional #direito #brasil

A post shared by DÉBORA OLIVEIRA (@deboraoliveira.al) on

Débora contou que após a postagem, recebeu mensagens de todo o país, não só de apoio por sua tentativa de passar no exame da OAB, como também de pessoas querendo fazer doações para seus “novos amigos”.

“Eles chegaram aqui em casa umas 10h da manhã e almoçaram comigo e com meus filhos. Fiz um macarrão com salsicha porque era o mais prático que tinha em mãos. Almoçaram e brincaram na piscina por todo o dia, até na nossa rede eles se divertiram”, contou durante entrevista. “Fiquei encantada com a alegria daquelas crianças. Foi uma experiência transformadora que vivi, por isso quis compartilhar”, explicou.

Os quatro meninos e a menina voltaram para suas casas por volta das 16h, acompanhadas pelo filho mais velho da bacharel, por segurança. “Desde então, já tentei reencontrá-los duas vezes, mas nos desencontramos”, lamentou. “Espero que, assim como Deus permitiu que eles viessem à minha casa em um dia que eu precisava, Ele permita que eu os veja de novo, pois agora somos amigos”, garantiu Débora.

  • Siga a Revista Saber Viver Mais no Instagram aqui.
  • Curta a Revista Saber Viver Mais no Facebook aqui.

Fonte: Tnh1

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS