Você está chegando no aeroporto, feliz, porque finalmente começará suas férias tão esperadas. Você cuida da papelada de embarque, deixa sua bagagem e senta na sala de embarque, animado para embarcar em um avião e fugir de casa. 

Eles fazem o seu check-in, e ao chegar no seu assento…  há um bebê recém-nascido ao seu lado, ansioso para chorar muito durante as próximas horas em que seu voo dura. O suficiente para dividir a viagem de uma maneira horrível.

Mas, para a sorte de alguns, uma companhia aérea asiática cuidou desse problema e, embora não o resolva, ajuda a tornar a viagem com bebês mais agradável para alguns.

A Japan Airlines (JAL) fez uma melhoria no seu sistema de reserva de voos, que indica quais assentos no avião serão ocupados por bebês com até 2 anos de idade. Na etapa de seleção de assentos, todos os ocupados por bebês terão um ícone representativo (um bebê, é claro).

Alguns tweeters agradeceram à companhia aérea japonesa por fazer um grande favor, já que o choro incessante de um bebê incomoda alguns.

“Obrigado, @JAL_Official_jp, por me avisar sobre o local onde os bebês planejam chorar e gritar durante um voo de 13 horas. Isso realmente deve ser universalmente obrigatório.”

“(…) Bebês chorando não são bem-vindos em lugar nenhum… e menos em voos de longa distância! Não há como escapar do ruído, mas os fones de ouvido com cancelamento de ruído ajudam”.

“Haha, estava na hora! Embora eu imagine que haverá uma área de estar vazia ao redor do bebê.”

Por outro lado, há quem critique a medida, pois considera que o choro dos bebês nessa idade é natural.

“Uma ótima maneira de estigmatizar os pais que provavelmente já estão tendo uma viagem difícil. Você quer um vôo tranquilo? Pague o extra e sente-se à frente.”

“Então posso sentar ao lado deles? Ajudar um pai estressado, sendo colaborativo e gentil? Então brinque de esconde-esconde com o bebê? Por isso eles fizeram essa medida? Porque se é por qualquer outro motivo, as pessoas precisam ser muito melhores que isso!

Se pensarmos sobre isso, a medida da JAL não é empática com os bebês e seus pais. Você está sentado na fila 1, 20 ou 40; de qualquer maneira, ouvirá o bebê chorando, portanto a determinação não faz muito sentido.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS