Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por uma alta concentração de glicose no sangue e na urina, por isso é muito importante ficar de olho na ingestão de alimentos para não piorar a situação e até mesmo para melhorar.

Felizmente, há muitas ervas e especiarias conhecidas por suas propriedades medicinais que ajudam, entre outras coisas, a lutar contra a diabetes, com as quais refeições saborosas e saudáveis podem ser preparadas.

Então enquanto você cozinha sua próxima refeição, tente adicionar algumas das 15 ervas e especiarias na lista abaixo, protegendo si mesmo e as pessoas que você gosta desta doença difícil.

1. Manjericão

Essa erva tem uma importante propriedade medicinal. Ela pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue em diabéticos, por isso recomenda-se que se use com frequência para temperar diferentes alimentos. O manjericão combina perfeitamente com saladas, sopas, molho pesto e outros pratos maravilhosos, além de seu aroma inconfundível.

2. Blueberries (Mirtilo)

Os mirtilos contêm um pigmento antocianina que contém antioxidantes que combatem diabetes, fortalecem o coração e reduzem o risco de inflamação e acúmulo de lipídios. Estudos mostram que o consumo diário de mirtilos frescos em grandes quantidades reduz os sinais de inflamação e melhora a tolerância à glicose em pessoas com síndrome metabólica (o que pode causar diabetes tipo 2).

O fruto pode ser comido cru ou cozido, e também pode ser seco. Devido ao seu sabor azedo, é usado para fazer geleias, licores e xaropes.

3. Camomila

A camomila é frequentemente usada como uma erva medicinal, principalmente para fazer chás. A camomila reduz o açúcar no sangue e evita complicações em diabéticos, ajudando o processo de digestão e limpando o sangue do excesso de açúcar. Além disso, depois de um longo dia de trabalho, não há nada como uma xícara de chá de camomila quente que acalma física e mentalmente.

4. Canela

A canela é usada na preparação de doces e também como tempero, tanto na sua forma natural quanto em pó. Estudos demonstraram que a canela é eficaz na redução dos níveis de açúcar no sangue em pessoas saudáveis e em pessoas com diabetes tipo 2, mas outros estudos descobriram que a canela não afeta os níveis de A1C (hemoglobina glicada), então os achados são inconclusivos.

Além disso, a canela tem um efeito benéfico sobre a perda de peso porque ajuda a reduzir o colesterol e acelera o metabolismo. Recomenda-se combinar a canela com feijão, arroz integral, lentilhas ou pratos de carne e, claro, não há necessidade de adicionar açúcar.

Leia Também: Está gripado? olha o que você não pode comer de jeito nenhum!

5. Cominho

O cominho tem um sabor único e bem forte, e combina bem com ensopados e arroz integral. Se você adicionar cominho aos seus pratos, use-o generosamente, pois reduz o açúcar no sangue e o colesterol, o que pode ser muito benéfico para os diabéticos. Além disso, o cominho tem um efeito positivo nos produtos finais da glicação de aminoácidos. Essa formação de açúcar é considerada perigosa porque pode alterar a estrutura do tecido em que foi criada e danificar o corpo, mas o cominho pode equilibrar esses processos e evitar a glicação de aminoácidos.

6. Dente-de-leão medicinal

O dente-de-leão medicinal é considerado uma praga, pois seu crescimento interfere no crescimento de outras plantas no campo ou no jardim, mas é uma erva medicinal importante. Suas folhas são ricas em vitamina A, C, cálcio e ferro. Além disso, ajuda a reduzir o peso, o que é muito importante para os diabéticos e pode ter um grande impacto na sua saúde.

Também aumenta o fluxo de urina e ajuda no processo de limpeza do corpo. As folhas jovens são adequadas para uma salada, sem a necessidade de cozinhar, embora as folhas maiores necessitem de cozinhar porque o seu sabor é amargo.

07. Estévia

A planta estévia está entre os poucos adoçantes que não prejudicam os diabéticos, mesmo que seja mais doce do que o açúcar normal. Embora o uso de estévia não ajude a eliminar o desejo de algo doce, esta planta tem um efeito positivo nos níveis de açúcar no sangue e insulina após uma refeição. Além disso, a planta de estévia pode ser cultivada facilmente em um vaso de flores, onde você pode escolher algumas folhas sempre que quiser aproveitar seus benefícios.

8. Erva-doce

A erva-doce tem um sabor de anis delicado, e recomenda-se usar suas folhas em saladas de vegetais, com suas folhas e sementes contendo antioxidantes e fibras que ajudam a reduzir o colesterol. Além disso, essa erva diminui a pressão arterial devido ao alto teor de potássio, o que ajuda a remover o sódio do organismo através da urina.

Na Índia, é costume mastigar sementes de erva-doce após uma refeição para limpar os dentes e refrescar a respiração e é considerado um excelente supressor da tosse, tornando-se um tratamento natural para um problema comum em diabéticos.

9. Alho

O alho é usado para fins medicinais em todo o mundo porque é muito eficaz contra infecções e inflamações, além de conter alicina, enxofre, vitamina B1, vitamina B3 e flúor.

Além disso, o alho tem propriedades anti-inflamatórias muito fortes, que reprimem as citocinas (pequenas proteínas) na diabetes, e também é conhecido por baixar os níveis de açúcar e gordura no sangue, fortalecer o coração e prevenir o desenvolvimento de células cancerosas.

10. Gengibre

O gengibre tem um sabor acentuado e refrescante e é usado principalmente para temperar uma variedade de pratos que contêm carne, frango e pratos vegetarianos. O gengibre é um suplemento de ervas perfeito para combater diabetes e colesterol alto, porque ele ataca diabetes em várias direções e até ajuda na perda de peso.

Além disso, em um estudo em 2014, foi demonstrado que as pessoas que consumiram 3 gramas de pó de gengibre seco durante 30 dias apresentaram melhorias significativas nos níveis de glicose no sangue, colesterol e outras medidas importantes. Aqueles que não gostam do sabor do gengibre na comida podem tentar cortar um pedaço de gengibre fresco e colocá-lo na xícara de chá.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Fonte: Tudo por Email

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS