Barba Klipel, 30 anos, é terapeuta ocupacional em Vila Velha (ES), ela usou o Facebook para publicar uma foto muito impressionante de seu filho, Eric com 7 meses, o bebê estava com manchas vermelhas em todo o corpo e rosto

O post viralizou com mais de 22 mil compartilhamentos, o relato é realmente impressionante, ela explica que escolheu uma banana para fazer a introdução alimentar que geralmente é feita nessa faixa de 6 a 7 meses.

Porém o Bebê nem chegou a provar a banana, só por ter encostado os lábios, uma reação alérgica desencadeou-se. Apesar de ter sido muito forte, depois de algumas horas e um banho os sintomas desapareceram.

Na postagem, Barbara usa a imagem e a história da banana para fazer uma ilustração de como as alergias alimentares são graves e muitas vezes inesperadas. Oferecer comida a bebês pode ser muito perigoso. Ela resolveu fazer esse relato porque em um dia anterior uma mulher desconhecida colocou, sem pedir, uma pipoca caramelizada na boca do menino.

*Alergia alimentar*Eric ficou assim pq manipulou, nem chegou a comer direito, uma banana Prata! As pessoas nao levam…

Posted by Barbara Klipel on Tuesday, December 18, 2018

Ela explicou por telefone a CRESCER que estava em um feira de produtos, quando parou em um estande logo em seguida percebeu que uma senhora se aproximou. “Não me importei porque Eric é muito simpático, então as pessoas paravam para vê-lo, falar com ele. Me abaixei para pegar a carteira e, quando subi, segundos depois, vi a mulher colocando a pipoca na boca dele. Fiquei horrorizada e disse ‘Você está louca?’. A atendente me deu razão, disse que ela não podia fazer aquilo sem perguntar antes. Observei bastante, Eric não apresentou alergia. Mas fiquei muito nervosa e, apesar de discreta na rede social, resolvi fazer um desabafo”, explica.

Barbara acredita que o post viralizou porque as pessoas se identificam com a situação, porém não têm coragem de falar. “Acho que o post foi como um grito das mães. Não são apenas estranhos; tem até gente na família que insiste em dar alimentos que os pais não dão, independentemente de alergia, como o açúcar, por exemplo. As mães sofrem com palpites e intromissões”.

Nos comentários – quase cinco mil -, houve apoio em massa, e algumas críticas. “Alguns julgaram, dizendo que eu tinha que cuidar do meu filho. Cabe a mim cuidar, mas cabe à sociedade respeitar. Bebês e crianças não são patrimônio público”, afirma ela, reiterando que o menino é saudável e que a banana é um ótimo alimento, porém, não para Eric, pelo menos por enquanto.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Com informações: Revista Crescer

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS